Seja bem-vindo

15 de novembro de 2006

A tradição mantem-se....

Uma vez mais a tradição fez-se cumprir. Todos os anos, por estas alturas, as senhoras fazem uma caminhada junto à igreja para recolher os seus pertentes. Trata-se de vasos com flores. A tradição diz que os rapazes que vão "a dar o número", nessa noite, deverão encantar o adro da igreja com os vasos de flores que são "roubados" das casas onde moram raparigas solteiras. Ora bem, hoje já não é assim, pois as raparigas já não são tantas que limitem a recolha dos vasos nas casas onde moram. Por isso, todos os vasos que estejam "à mão", vão parar ao adro da igreja. No antigamente, pagava-se a uma pessoa que trata-se das flores durante todo o periodo em que os que iam "dar o número" por lá andavam, o que podia chegar a uma semana. refiro-me aos rapazes que iam prestar provas para fazer a tropa.

Para quem não conhece, garanto-vos que é muito giro observar o adro da igreja com todas aquelas flores que, chega-se ao ponto, de não saber a quem possam pertencer.

Trata-se de mais um episódio que, concerteza, a todos nós tráz saudade dos tempos de juventude.......

Bjs e abraços não esquecendo de que, aguardo novidades para divulgar.

Bem Haja ao meu irmão pela foto.

Até um dia desdes...

xx Cuco xx

1 de novembro de 2006

O COBRÃO - Curiosidade

O cobrão é o nome que o povo dá a uma doença de pele caracterizada pelo aparecimento de pequenas vesículas que surgem, segundo a a crença, devido à circunstância das roupas interiores, quando se encontram a secar, terem estado em contacto com qualquer bicho peçonhento: cobra, osga, lagarto ou lagartixa, bichos esses que nelas deixaram, como se diz em Louriçal do Campo, o seu rastejo. É o veneno contido nesse rasto que, em contacto com a pele, desencadeia a doença.Para curar o doente repetia-se esta fórmula:

Rezado em cruz sete vezes:

Aqui te benzi, aqui te torne a benzer
Para que não cresças, nem inverdeças,
Nem juntes o rabo com a cabeça .

Depois a curandeira pega numa réstea de alhos e desenrola-se entre ela e o doente o diálogo seguinte:

Curandeiro: - Tu tens um cobrão?
Doente: - Ou terei ou não.
Curandeiro: - Corta-lhe a cabeça
Doente: - Corta tu ou não
Curandeiro: - Tu tens um cobrão?
Doente: - Ou terei ou não.
Curandeiro: - Corta-lhe o meio
Doente: - Corta tu ou não
Curandeiro: - Tu tens um cobrão?
Doente: - Ou terei ou não.
Curandeiro: - Corta-lhe o rabo
Doente: - Corta tu ou não

Por fim, queima-se a réstea de alhos e bota-se primeiro mel sobre a parte infectada e, em seguida, a cinza das résteas, para secar o mal.
Esta fórmula oferece a originalidade de apresentar estrutura em diálogo entre a rezadeira e a pessoa doente. Nesse diálogo, dois pormenores existem que se devem ser revelados: a primeira frase " tu tens um cobrão?" e a repetição quase contínua e exaustiva de "corta-lhe". A primeira frase patenteia o costume de se invocar o nome da doença no início da fórmula libertadora; e incidência repetitiva que surge no diálogo em relação a "corta-lhe" reside no facto de ser esta palavra forte, isto é, a palavra através da qual a rezadeira liberta a pessoa do mal que a aflige, a palavra que corta um laço que liga a pessoa à doença.O número de vezes necessário para eficácia das palavras é de sete. O gesto enfeitiçante é o sinal da cruz: ao fazer-se a cruz sobre qualquer coisa atraem-se as forças mágicas dos quatro pontos cósmicos, ideia reforçada pelo facto de o sentido esquerda – direita, ao qual o sinal da cruz obedece, representar simbolicamente o passar da morte à vida.A utilização do mel e das cinzas das résteas de alho, em conjunto com a fórmula libertadora, mostra nesta versão de Louriçal do Campo, uma dupla intenção: a de desligar a pessoa do mal, por um lado, e a de curar, por outro com o auxílio do mel e das cinzas das palhas de alho.

Comprar e Vender em Louriçal do Campo......

Bom Dia a Todos,

Após algum tempo, cá estamos novamente. A razão da minha ausencia temporária, prende-se ao facto de não ter noticias sujeitas a narração ou divulgação. Neste sentido, uma vez mais, solicito a todos os interessados, que me façam chegar peças, relatos, enfim, tudo o que seja possivel de divulgação. Embora não pareça, há sempre alguém interessado naquilo que alguém não dá interesse. A não esquecer que este blog foi criado com o objectivo de dar a conhecer / promover a nossa terra, por isso, agradeço desde já a vossa contribuição.

Bem, hoje temos uma noticia a dar. Encontra-se disponivel um site em que podes vender e comprar imóveis na terra. Pois bem, para isso basta seguires o enderesso abaixo e, caso estejas interessado, força!!!

Embora, esteja por de trás uma imobiliária, esta noticia não tem qualquer objectivo de divulgar a mesma, mas sim sempre o de promover a nossa terra que, neste caso, a compra e venda de imoveis

http://www.remax.pt/PubScripts/InternetSearch.asp?ComRes=Res&Lang=PTG

Bons negócios e até breve....

PS: Bem Haja a todos pelas visitas feitas a este blog.

xCucox