Seja bem-vindo

23 de dezembro de 2010

Natal com muito frio e chuva

O Instituto de Meteorologia salienta que o estado do tempo no território português, pelo menos até ao final de terça-feira, dia 21, será influenciado por uma depressão à qual estarão associadas várias linhas de instabilidade.

Está prevista a ocorrência de precipitação forte nas Regiões a Sul do Sistema Montanhoso Montejunto-Estrela e durante a noite nas regiões a norte deste sistema.

O vento vai soprar forte nas Terras Altas a norte do Sistema Montanhoso Montejunto-Estrela, e forte a muito forte, com rajadas até 90 km/h, nas Terras Altas a sul deste sistema.

De acordo com esta mesma fonte, da antevisão do estado do tempo até ao fim de semana do Natal, salienta-se o seguinte: dias 22 e 23 de Dezembro, prevê-se a ocorrência de precipitação fraca.

Descida significativa das temperaturas. Possibilidade de queda de neve, em cotas provavelmente abaixo dos 600 metros, durante a noite, em especial no interior da região Norte da região Centro, nos distritos de Bragança, Viseu, Guarda e Castelo Branco.

Já nos dias 23 e 24 Dezembro, prevê-se a continuação dos dias muito frios.
De 24 a 26 Dezembro, a precipitação será fraca mas persistente, em especial nas regiões do Norte e Centro, a partir da tarde de 24.

Face a esta previsão das condições meteorológicas devem ser observados os efeitos expectáveis e medidas de auto-protecção.

Por isso, a Autoridade Nacional de Protecção Civil recomenda a tomada de algumas medidas de precaução, relativamente ao piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água; à possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem; e danos em estruturas montadas ou suspensas.

Neste sentido, a ANPC recomenda a tomada de medidas de prevenção e precaução.
Os cidadãos devem estar atentos às informações do Instituto de Meteorologia e às indicações da Protecção Civil e Forças de Segurança, mantendo-se atentos à situação.

Será fundamental desobstruir os sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objectos que possam ser arrastados ou criem obstáculo ao livre escoamento das águas.

Devem ser tidos, ainda cuidados com o aquecimento do lar, nomeadamente, sendo importante uma adequada ventilação quando se utiliza braseiras ou, no caso do uso de lareiras, a utilização de um resguardo próprio para evitar que qualquer faúlha salte para o exterior.

Fonte:http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=262&id=25111&idSeccao=2926&Action=noticia

19 de dezembro de 2010

Festa de Ano Novo pela Banda Filarmónica de Louriçal do Campo


A Filarmónica de Louriçal do Campo realiza um concerto de Ano Novo, no próximo dia 1 de Janeiro. Aproveitando a ocasião a Filarmónica realiza, igualmente, uma festa de homenagem ao Maestro Joaquim Cabral e apresenta de mais um regente, numa iniciativa que conta com a presença do autarca de Castelo Branco, Joaquim Morão.


A festa começa pelas 15H30, no largo da Junta de Freguesia, com o toque do Hino da Maria da Fonte. Segue-se uma a arruada à casa do Mestre, com a atribuição de nome de Rua ao Mestre Joaquim Cabral.
 A Filarmónica e os convidados dirigem-se, depois para a Casa da Música, onde será tocado o Hino da Filarmónica e feito o descerramento de uma lápide atribuindo, também, o nome de Joaquim Cabral à Sede Social da Filarmónica.

Depois dos discursos protocolares, marcados para as 16H00, inicia-se o concerto pelo Mestre Joaquim Cabral.

Segue-se a entrega de lembranças e o concerto da Filarmónica continua, já sob a regência do professor Rui.

A festa termina com um jantar na Casa da Música.

Fonte: http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=262&id=25059&idSeccao=2927&Action=noticia

Festa de Natal em Louriçal do Campo


Natal é sinónimo de festa e alegria.

Desde o atear do Madeiro ás 20 horas, da Missa do Galo ás 22 horas, o resto, está nas mãos da organização dos festejos de Natal (Malta de 92). A festa de Natal que, irá alegrar até ás tantas, a mais linda noite do ano. Estamos certos de que será uma noite de arromba. Por norma, esta noite promete, por isso, um belo casaco, cachecol, luvas e um belo gorro, são sempre peças quase que obrigatórias. O resto, a noite falará por ela.

Para animar mais ainda essa noite e porque estamos em alegria pelo nascimento do Menino, poderão ser ainda esperados alguns instrumentos que, em reunião, estarão dispostos a dar ainda mais alegria à noite.

Serão todos bem-vindos.... Aos que veem de longe, votos de boa viagem, e sem pressas de chegar pois a noite vai ser longa.

xxcucoxx

8 de dezembro de 2010

O Natal avizinha-se.....


A malta, nomeadamente mais nova  e que, supostamente com maior força, reuniu-se no passado Sábado, dia 4 de Dezembro, para procurar e compôr o já tradicional Madeiro (1).

Tal como reza a história, este evento tem como organização, a malta que deverá, ou devería ir á "dar o número" para a inspecção. (Agora já nem sei bem como é que são estas coisas, o tempo passa e o dinamismo é tanto que nos perdemos). Ok, deixemo-nos de lagrementações e, vamos ao que interessa para já.

De me lembrar que já os nossos avós e pais o fizeram em tempos passados e com a sua tenra idade (17/18 anos de idade), até fico com arrepios na espinha com a consciência de que o tempo não para. Eu também já o fiz no passado ano de 1991..... (Até dói só de pensar que já lá vão 19 anos.......). Enfim, tal como a encontrámos, teremos que deixar passar a tradição e, isto é bonito que assim seja.

Muito bem. Uma vez mais, parabéns aos do ano, a todos os que ajudaram a reunir este grande Madeiro e, de certo que, estaremos todos lá para nos podermos aquecer a ele na noite mais linda no ano.

(1) – Madeiro – Normalmente composto por grossos e volumosos troncos dos sobreiros mais secos, velho e carcomido e que já abrigou, no seu seio, dezenas de gerações.


xxcucoxx

26 de novembro de 2010

A Autarquia adquire terrenos em Louriçal do Campo

Autarquia investe em imóveis


A Câmara de Castelo Branco acaba de adquirir três terrenos em Louriçal do Campo e Alcains. O investimento de 319 mil euros pretende captar mais emprego.

Por: João Carrega


25 de Novembro de 2010 às 17:13h

A autarquia albicastrense acaba de adquirir três novos terrenos com vista à captação de novos investimentos e empresas. Em Alcains, foi adquirido um espaço de três hectares, situado na zona de Geralda (perto da antiga fábrica de rações Alprema), enquanto que no Louriçal do Campo foram comprados dois terrenos, um com 21 mil 750 metros quadrados e outro com 12 mil metros quadrados.

Joaquim Morão presidente da autarquia, justifica esta aposta com a perspectiva de se poderem captar novos investimentos para aquelas áreas. “Em Alcains foram adquiridos três hectares, os quais ficam disponíveis para a instalação de empresas. Deste modo, a autarquia cria condições para que ali se possam instalar estruturas que criem mais empregos”, explica.

O autarca revela que também na freguesia de Louriçal do Campo foram adquiridos mais dois terrenos. “Um desses espaços vai permitir que ali se instale uma nova urbanização, junto da escola. O outro, composto por um pomar, situa-se junto ao Colégio de S. Fiel”, revela.

Recorde-se que a aposta da autarquia na aquisição de espaços que permitam a instalação de empresas ou serviços no Concelho tem sido constante. A Câmara dá como exemplos as aquisições da antiga Dibeira, onde ficou instalada a ASAE, o antigo celeiro, onde hoje funciona o call center da PT Contact, as instalações da Reditus ou o Centro Nacional de Atendimento da Segurança Social, entre outras.

Deste modo, assegura a autarquia, criam-se condições para que surja mais emprego no concelho. Recentemente foi assinado um protocolo com a empresa Novabase, que instalará em Castelo Branco um centro de apoio ao Plano tecnológico do Ministério da Educação para todas as escolas da região centro do país. Um espaço que ficará instalado no edifício da Assembleia Distrital, cujas obras de remodelação foram efectuadas pela Câmara de Castelo Branco.


Fonte: http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=259&id=24669&idSeccao=2883&Action=noticia

16 de novembro de 2010

Festa de S. Carlos Borromeo * Louriçal do Campo*



O Grupo Onomástico “Os Carlos”, de Louriçal do Campo, levou a efeito no passado dia 6 o seu 9º convívio anual. A estes juntam-se as suas “carlotas” que, como é seu timbre, muito impulsionam o evento, que teve o seu início com a celebração de uma missa por intenção dos Carlos já falecidos e onde foi consagrada a imagem do padroeiro S. Carlos Borromeu.

 
Como habitualmente, realizou-se no salão de festas da Torre, um serviço de “catering” que deliciou e satisfez os convivas, onde foi notório o bem-estar e entusiasmo da camaradagem homónima, não faltou a concertina com o caprichar do acordeonista Carlos Galefe, acompanhado pelo cavaquinho do Carlos Domingos, onde alguns Carlos e Carlotas não resistiram a um pezinho de dança. Mantendo a tradição, também não faltaram as castanhas assadas e a boa jeropiga. Posteriormente e respeitando o sistema de rotatividade, foi nomeada a comissão do próximo ano que promoverá o acontecimento no dia 5 de Novembro. À comissão cessante, sublinhando as “carlotas”, foram dados os parabéns pela motivação e desempenho do evento.
Carlos Vaz

4 de novembro de 2010

Primeiras chuvas, primeiros cogumelos...


Primeiramente, os "frades", depois os Míscaros!!

Após as primeiras chuvadas, chega a "revolta" da caruma nos pinhais...

Os  "frades" são os primeiros a manifestar-se. Normalmente, nascem nos descampados, junto dos troncos de sobreiros.

Mais tarde, vêm os Miscaros, pequenos cogumelos que poderão custar cerca de 30 a 35 eur/ kg. Na nossa região, são procurados para consumo doméstico, pela população, nos pinhais vizinhos, onde crescem entre mimosas e pinheiros.

Apesar das mais variadas espécies de cogumelos, o mais conhecido e que garante alguma "confiança" para consumo humano, é o "verdadeiro" Míscaro Amarelo. Este, tal como o seu nome indica, não merece qualquer dúvida de identificação.



Recomendações Culinárias:


Arroz de Míscaros

Ingredientes:

 
2 kg de míscaros

1 salpicão médio

400 g de arroz

50 g de margarina

4 dentes de alho

1 dl de azeite

1 l de água

1 cebola

1 cubo de caldo de galinha

Salsa picada, sal e pimenta q.b.


Preparação:

 
Comece por lavar muito bem os míscaros para lhes tirar toda a areia.

Num tacho de ferro ou de barro, coloque o azeite, a margarina e os alhos esmagados e deixe ao lume até estes estalarem. Junte a cebola picada e deixe cozer suavemente até esta estar macia. De seguida, adicione o salpicão cortado em cubos. Aumente um pouco o calor e deixe alourar bem a cebola. Introduza o arroz e os míscaros e vá mexendo para que o arroz absorva a gordura. Regue com a água a ferver e adicione o cubo de caldo de galinha. Tempere com pimenta e rectifique o sal.

No forno já quente, introduza o tacho e deixe cozer durante 15 minutos.

Findo este tempo, sirva polvilhando com salsa picada.


Votos de bom apetite...

xxcucoxx

2 de novembro de 2010

Um país que renega a história é um país traidor

Um país que renega a história é um país traidor


28 de Outubro de 2010 às 16:02h

Não sei que força me impele a caminhar todos os dias para a terra onde nasci. Eu, que nela já nada tenho, a não ser os caminhos intemporais da infância, a mata de eucaliptos que calcorreei de bicicleta, a água cristalina fluindo para o tanque, e um tropel de imagens que se não descolam do imaginário do menino e adolescente que ontem fui. Mesmo hoje que a manhã solarenga resolveu descambar para uma tarde escura de trovoada iminente, com nuvens encasteladas em zaragata ruidosa e quase contínua.

O chapinhar já espaçado dos corpos na piscina, em frente, é canto de cisne neste definhar de verão que deixará de novo o sítio onde vim ao mundo, acabrunhado e deprimido, num isolamento avassalador que a meia dúzia de resistentes suporta, impotente e resignada. Tudo tem um fim. Talvez que a própria Natureza tenha também, um dia, o seu fim, de tanto estupro e violência.

Amanhã é Setembro. Há cinquenta Setembros São Fiel era ainda um pequeno condado de educadores, educandos, agricultores e artistas. Não se conhecia uma casa fechada, a menos que algum solitário se esquecesse de avisar que ia morrer. Nas noites cálidas de verão sem telenovelas nem discotecas, forasteiros de visita a familiares percorriam a estrada até ao monumento em grupos numerosos deixando os sentidos invadirem-se do cheiro a milho regado com a água pura que a serra mandava, ou a que o burro vendado pacientemente puxava da nora. Trocavam-se saudações a partir da varanda da casa tosca de granito onde nasci, a casa que é já outra, mas cujas paredes aproveitadas, barradas de cimento e cal, hão-de ser o sepulcro eterno do meu pranto silencioso a escorrer saudades e ressentimentos.

Hoje, quando o calendário determina o Inverno e com ele cai a noite cedo demais, sinto a alma aconchegada ao descortinar uma luz ténue que seja, por entre a vidraça de alguma casa velha. De resto, todo o pequeno casario é um ninho de sombras e cada casa fechada um jazigo de fantasmas inquiridores. Um carro que surja é uma esperança de companhia adiada. Aparece e some-se. E tudo retoma a quietude do assombramento.

Tudo aqui me arrasta para reminiscências adormecidas, mas indeléveis e indiluíveis.

Ao dobrar o alto da Soalheira, logo o avisto, ao longe, colado às escarpas da Gardunha, um edifício majestoso cujos cento e sessenta anos a incúria e a imbecilidade do poder não conseguiram diminuir na sua imponência. A ruína irreversível já tomou conta das entranhas. Mas por mais vidros e janelas que a força do vento e a fúria delinquente destruam, ele permanece ali como relicário apagado do progresso que deu sustento a gerações incontáveis, no passado.

Ao cruzar-me com ele, paro. Pararei sempre que a isso obrigue esta força estranha que me imobiliza ao aproximar-me. E como o cão fiel estaca esperando a ordem do dono, também o carro aguarda que eu contemple, mais uma vez, o gigante que deixaram morrer, mas continua de pé. Estranha forma de morrer! O meu olhar reverencial sobe ao mirante delimitado por varandins em ferro que a altura intimidativa impediu até hoje de alguém os desmantelar apenas pelo prazer mórbido de destruir. Então, um frémito percorre-me o peito e faz aflorar a lágrima costumeira da saudade e da revolta. Quando a verticalidade do gigante morto soçobrar às leis da física ou do camartelo da demência política, os seus destroços sepultarão parte de quem nasceu à sua sombra, mesmo defronte, embalado pelo clarim anunciador de alvoradas, e hoje, despertador tardio de sombras e nostalgias.

Aquilo que outrora foi reduto de cultura e reabilitação (daí o título de colégio), detentor de uma arquitectura invulgar, de traça conventual, alguém alvitrou, não há muito, fosse reestruturado em estância hoteleira. Chamaram-lhe visionário. O Ministério da Justiça desempenhando brilhantemente o seu papel de falso progenitor, gastou palavras e dinheiro em estudos que a alarvice cultural atirou para a hipocrisia da inviabilidade. O poder autárquico não quis o que outros não quiseram e seguiu-lhe os rastos, declinando deveres de preservação patrimonial.

Um país que renega a história do seu passado é um país traidor de memórias, um país parado na negação de compromissos ancestrais, um país vazio de heranças por deixar, um país a marcar passo na inércia da cobardia, um país sem rumo nem futuro. E sê-lo-á já. Mas cantando e rindo. E com muito futebol, de permeio.

Fernando Serra

fccserra@netcabo.pt

Fonte: http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=255&id=24095&idSeccao=2834&Action=noticia

1 de novembro de 2010

Rescaldo PaintBall de 30 Outubro 2010



Boa noite a todos vós,

Assim decorreu mais uma actividade inédita sob os "nossos" terrenos. Realizou-se assim, no passado dia 30 de Outubro o primeiro evento deste género. PaintBall pela primeira vez em Louriçal do Campo. Estiveram como participantes, alguns jovens de Louriçal do Campo mas também outros mais das aldeias vizinhas.

Apesar das armas e tiros, não houve feridos!!!

Parabéns aos participantes, bem como a todos aqueles que contribuíram para a realização deste evento.

Bela reportagem fotográfica a quem a fez.

Obrigado a todos !!!


xxcucoxx

26 de outubro de 2010

9º Confraternização OS CARLOS *2010*


Boa noite,

Irá realizar-se no proximo dia 6 de Novembro do corrente, mais um convívio de confraternização dos "OS CARLOS".

Desta feita, já será o 9º ano de confraternização e amizade.

Promete-se um dia bem disposto, de união e, acima de tudo, de muita alegria.

Considerem-se desde já, todos os Carlos e suas meias-caras, convidados a participar nesteevento anual.

Valerá a pena comparecer !!!

xxcucoxx

3 de outubro de 2010

Paintball em Louriçal do Campo *30 de Outubro de 2010*


Boa tarde a todos,

Óra aqui está uma actividade radical que, pelo seu primeiro convívio, irá realizar-se em Louriçal do Campo, no próximo dia 30 de Outubro. Uma aventura que permitirá tirar proveito de todas as belezas e relevos dos trilhos que fazem parte da Gardunha. Oportunidade a não perder.

xxcucoxx

1 de outubro de 2010

Comemoração dos 100 anos da Implementação da República


Boa noite a todos os visitantes,

Colocando desde já, todas as desgraças que nos atormentam, este ano comemoram-se os 100 anos da implementação da República em Portugal. Louriçal do Campo não poderia deixar passar este feito. Todos nós, estamos desde já, convidados para estar presentes nessa comemoração a realizar-se junto das das instalações de Junta de Freguesia onde, será içada a bandeira a toque do Hino Nacional por parte da Banda Filarmónica de Louriçal do Campo. Haverá actividades alusivas ao tema.

Será ainda disponibilizada refeição aos participantes e extensiva também, a todos que queiram estar presentes. Haverá porco no espeto!!

Vamos participar nesta iniciativa.

xxcucoxx  

22 de setembro de 2010

Portagens A23 chegam em Abril 2011

O Conselho de Ministros acaba de aprovar uma resolução que aponta como certa a introdução de portagens na A23, já a partir de Abril.

Por: João Carrega, 16 de Setembro de 2010 às 12:17h.


O Governo acaba de aprovar em Conselho de Ministros uma resolução que estabelece a introdução de portagens na A23, já a partir de Abril. O documento estabelece as regras da implementação das portagens em todas as Scuts (auto-estradas sem custos para os utilizadores), cedendo assim a uma das exigências do PSD.


De acordo com o documento, a medida constitui “um esforço de compromisso procurado pelo Governo, adopta-se o princípio da universalidade na implementação do regime de cobrança de taxas de portagem”.

 
A resolução revela que nas Scut Interior Norte, Beiras Litoral e Alta, Beira Interior e Algarve “iniciar-se-á a cobrança de portagens, até ao dia 15 de Abril de 2011”.


Adianta o documento a que o Reconquista teve acesso, que será “criado um regime de discriminação positiva, na cobrança de taxas de portagem, para os utilizadores locais das regiões mais desfavorecidas, através de um sistema misto de isenções e de descontos, para as populações e empresas locais, através de isenções nas primeiras 10 utilizações mensais e de descontos de 15% nas utilizações seguintes da respectiva auto-estrada Scut”.


Apesar de questionado pelo Reconquista sobre a introdução de portagens na A23, o Ministério das Obras Públicas não conseguiu, em três dias, dar qualquer resposta às questões enviadas pelo nosso jornal. Fica-se assim sem saber, por exemplo, qual o preço das portagens a aplicar; se haverá troços, entre nós de acesso, que não sejam portajados, ou qual a solução que é dada aos automobilistas nos troços em que não existe qualquer estrada alternativa.


O documento que o Conselho de Ministros aprovou, fixa “um regime transitório de isenções, a vigorar até 30 de Junho de 2012, que abrange, no caso do interior do país, os residentes e as empresas com sede em “concelhos inseridos numa NUT cujo qualquer parte do seu território esteja a menos de 20 km (Scut Interior Norte, Beiras Litoral e Alta, Beira Interior e Algarve)”. Diz ainda a resolução que “a partir de 1 de Julho de 2012, as isenções serão aplicadas nas Scut que sirvam regiões mais desfavorecidas, tendo em conta o índice de disparidade do PIB per capita regional, nomeadamente, nas regiões que registem menos de 80% da média do PIB per capita nacional”.


O Governo pretende ainda que em Outubro (até ao dia 15) arranque a cobrança de portagens nas Scut Norte Litoral, Grande Porto e Costa da Prata. E informa que a introdução de portagens em auto-estradas sem custos para o utilizador (Scut) está prevista no Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) para 2010-2013, como sendo uma das medidas de consolidação das contas públicas, relevando para a redução do défice e constituindo um compromisso claro de Portugal junto da União Europeia e dos seus parceiros europeus.


Fonte: http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=249&id=23375&idSeccao=2751&Action=noticia
 
xxcucoxx

29 de agosto de 2010

Contas Festa Cívil S. Fiel e Sto António 2010.


Boa Noite,

Tal como anunciado anteriormente, junto se apresentam as contas finais dos festejos de S Fiel e Sto António ano 2010.

Desde já, os agradecimentos à comissão de festas tanto pelo seu desempenho assim como pela organização dos festejos.

Boa sorte à comissão nomeada para os festejos a realizar-se no próximo ano de 2011.

xxcucoxx

Rescaldo dos festejos 2010 (parte1)






Olá a todos,

Ficam aqui e desde já, alguns registos da boa disposição quanto o convívio anual da ARFAL. Estiveram presentes cerca de 20 elementos que, com a sua natural boa disposição, marcaram a sua presença no 12º convívio da comunidade.

Este evento marcou os seus 12 anos de confraternização entre os antigos elementos e amigos da Filarmónica. De futuro, é esperado um maior número de elementos que preencham os requisitos de inscrição.

Esta comunidade é alheia a qualquer organização vigente. Trata-se meramente de um modelo de convívio assim como qualquer um. Contudo, com um aspecto comum (que nos orgulha), antigos elementos e amigos da Filarmónica de Louriçal do Campo.

Naturalmente e por razões óbvias, são aproveitados os dias dos festejos anuais de S. Fiel para que se realize o convívio anual que, normalmente ocorre no dia de Sábado dos festejos.

Afim de enriquecer o status deste evento, apela-se à organização para que, em futuras ocasiões, se proporcione uma melhor coordenação entre os elementos que, com os seus instrumentos, possam apresentar um reportório musical um pouco mais enriquecido sendo que para isso se criem as condições necessárias.

Oportunamente, serão divulgadas outras peças de interesse, nomeadamente, o saldo dos festejos 2010.

xxcucoxx 

2 de agosto de 2010

12º Almoço / Convivio da ARFAL


Boa noite a todos os visitantes.

Encontram-se desde já, convidados todos os ex-executantes da Banda Filarmónica de Louriçal do Campo para mais um convívio anual.

Este evento terá lugar no recinto de festas de S. Fiel em Louriçal do Campo, mais conhecida por "Expo".

Tratar-se-á de um convívio almoço com consequencias tardias o que provocará, de algum modo, furor durante a tarde desse dia.

Por isso, meus amigos, trata-se de um convite obrigatório desde que se reúnam as condições necessárias para a respectiva inscrição.

Lá nos encontraremos !!!

Saudações "Cucas".

xxcucoxx

1 de agosto de 2010

Programa de Festas S. Fiel 2010

Olá Amigos,

Já alguns de vós se terão questionado pelo programa de festas de S. Fiel. Óra bem, só este fim de semana foi divulgado ao público em geral. Assim, e como sería de esperar, aqui está ele.



Por favor, divirtam-se e tragam um amigo também.

xxcucoxx

18 de julho de 2010

Louriçal e Sobral ficam sem escolas

A aposta passa por criar centros escolares de excelência e nos últimos anos a autarquia investiu mais de 3,7 milhões de euros naquele nível de ensino, estando em curso outras obras no valor de 7,5 milhões de euros em novas estruturas.


Por: João Carrega
15 de Julh de 2010 às 15:45h

As escolas do 1.º ciclo das freguesias de Sobral e de Louriçal do Campo já não vão funcionar no próximo ano lectivo. Aqueles são os únicos estabelecimentos do 1.º ciclo que fecham portas no concelho de Castelo Branco, passando os seus alunos (que no conjunto das duas escolas são de pouco mais de uma dezena), a frequentar as actividades lectivas no Agrupamento de Escolas de S. Vicente da Beira.

Joaquim Morão, presidente da Câmara, assegura que “este encerramento vem ao encontro do que está definido na Carta Escolar do Concelho, aprovada por todos os parceiros”. O autarca diz que a decisão foi tomada de forma consensual e que estão garantidos os transportes dos alunos, bem como a alimentação. “Esta é a melhor solução para os alunos que assim passarão a usufruir de melhores condições de ensino”, assegura.

A aposta da autarquia nos últimos anos tem passado por dotar o concelho de Castelo Branco de centros escolares de excelência, tendo efectuado fortes investimentos na recuperação, requalificação e construção de escolas e salas de aula. Só no 1.º ciclo foram investidos cerca de 3,7 milhões de euros. Na escola do Castelo foram feitas de quatro salas de aula para alunos do pré-escolar, uma sala polivalente para o pré-escolar, um refeitório, sanitários, uma biblioteca, gabinetes de direcção, de atendimento e para professores/educadores e uma sala para a associação de pais. Na Sra. da Piedade foi feita a requalificação do edifício existente. Foram melhoradas as oito salas de aula e as seis salas de expressão plástica, a sala polivalente e a de atendimento, bem como os espaços exteriores. Foi ainda construído um recreio coberto, um refeitório, uma biblioteca com acesso à informática e de um gabinete de professores.
Na sede do Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva foram construídas quatro novas salas de aula. O edifício, construído junto ao pavilhão desportivo, está dotado de uma sala de convívio para alunos e uma outra para professores, bem como os respectivos sanitários.
No Agrupamento Faria Vasconcelos, em Castelo Branco, também foram construídas duas novas salas de aula e novos sanitários de apoio, junto ao edifício sede.
Já no Agrupamento Cidade de Castelo Branco, junto à escola sede, está a ser construído um novo edifício num investimento de 920 mil euros, que entrará em funcionamento no próximo ano. O novo espaço tem dois pisos. Ao nível do rés-do-chão surgem quatro salas para actividades, dois gabinetes (um para professores e outro para educadores), uma sala de convívio para professores/educadores, duas salas de aula e sanitários. Ao nível do 1º andar serão construídas mais duas salas de aula/educação plástica, uma biblioteca/informática e um gabinete para educadores e Professores.
O presidente da Câmara recorda que a requalificação destas escolas faz parte de um projecto ambicioso da autarquia, no sentido de criar centros escolares de excelência.

Novas escolas
Num outro nível, a autarquia, através de acordos com o Ministério da Educação, tem em curso a construção da nova Escola Afonso de Paiva, cuja primeira pedra foi colocada pela Ministra da Educação, Isabel Alçada, e cujo objectivo é que entre em funcionamento no próximo ano lectivo. O investimento é de seis milhões de euros.
Já em Alcains, foi lançado concurso público com vista à requalificação e ampliação da Escola Secundária de Alcains. A obra permitirá resolver o problema das más instalações existentes na escola básica (antiga preparatória), já que os 2.º e 3.º ciclos que aí são ministrados passarão para o novo espaço da Secundária Ribeiro Sanches. O investimento é de um milhão e meio de euros.
A aposta na criação de condições de excelência no parque escolar do Concelho já tinha sido elogiada pela anterior equipa do Ministério da Educação, a qual classificava o parque escolar de castelo Branco como um exemplo para o país. Além das condições físicas, a autarquia foi dos primeiros municípios a responder afirmativamente ao desafio das actividades extra-curriculares.

Fonte: http://www.reconquista.pt/noticia.asp?idEdicao=240&id=22400&idSeccao=2632&Action=noticia 
 
xxcucoxx

6 de julho de 2010

Portagens na A23

Isenção, pois claro!


A possível introdução portagens na A23 vai tornar a vida dos cidadãos do interior do país mais difícil. O Primeiro-ministro está contra a medida, o PSD defende a lógica do utilizador pagador e a comissão de utentes já fez as suas contas. Uma viagem entre a Covilhã e Castelo Branco pode custar 4,5 euros. As alternativas à A23 quase não existem.

A introdução de portagens na A23 está a criar uma onda de revolta junto das populações do interior do País. O Primeiro-ministro, José Sócrates, que nas últimas eleições foi cabeça de lista pelo Partido Socialista pelo círculo eleitoral de Castelo Branco, não concorda com a ideia. Mas o PSD, maior partido da oposição, defende a lógica do utilizador pagador, ou seja a introdução de portagens nessas vias. Entretanto, a Comissão de utentes contra as portagens na A25, A23 e A24 já fez as contas (ver quadro) e lembra que uma viagem, num ligeiro de passageiros, entre, por exemplo Castelo Branco e a Covilhã poderá custar cerca de 4,5 euros. Já uma viagem entre Torres Novas e a Guarda (extensão da A23) custaria 16,70 euros.

As Scuts são hoje um acontecimento político, onde os dois principais partidos procuram entendimento. Para José Sócrates a questão parece clara. "o Governo sempre considerou que as auto-estradas em que o PIB per capita é inferior à média nacional e em que não há alternativas, devem servir como instrumento ao desenvolvimento regional e por isso não devem ter portagem. Confundir as auto-estradas junto da área metropolitana do Porto com a que liga a Guarda, por exemplo, é pura demagogia. Não são coisas iguais".

O Primeiro-ministro lembra que "o que é injusto é manter a mesma política para essas auto-estradas. No interior do País há razões para nós pagarmos por eles como razão ao serviço do desenvolvimento. Não deve haver portagens nas auto-estradas da Beira Interior, nem em Trás-os-Montes ou no Algarve, por exemplo. Por isso, a nossa proposta é que os residentes e a actividade económica dessas regiões sejam isentos do pagamento de portagens ".

Já esta terça-feira, o Governo apresentou uma proposta onde propõe a isenção da cobrança de portagens em 46 municípios atravessados pelas sete Scut’s, nas quais se incluem os concelhos do Distrito de Castelo Branco, da Guarda e de Santarém atravessados pela A23. Na escolha desses municípios esteve o Índice de Poder de Compra Concelhio (IPCC), publicado pelo Instituto Nacional de Estatística. No entanto esta primeira proposta não inclui todos os concelhos do Distrito: Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova, Sertã ou Vila de Rei estão fora da lista. Facto que também não se compreende já que são concelhos cujo índice de poder de compra ainda é mais baixo que os restantes.

O ministério sublinha ainda que “o critério e a lista são propostas do Governo, ou seja, um ponto de partida para trabalhar no sentido de obter” um acordo. Acontece que a posição PSD passa pelo princípio do utilizador pagador “que sustenta a introdução de portagens nas designadas Scut’s. Miguel Relvas considerou “justo que, como nas restantes auto estradas, estas devam ser suportadas pelos seus utilizadores e não pelos contribuintes”.

O dirigente social-democrata, que falava no final da reunião da comissão política do PSD, defendeu “o princípio da universalidade na introdução de portagens” que “não devem ter um carácter regional mas antes nacional” e devem aplicar-se “a todos e não apenas a alguns” e “quer se trate de cidadãos nacionais ou estrangeiros”.

Por: João Carrega
1 de Julh de 2010 às 17:58h

In jornal "A Reconquista"




O Governo já disse que quer impôr portagens na A25, A23 e A24.


Usando o preço das portagens que o Governo aplicou a outras auto-estradas,

Veja quanto lhe custaria circular na A25, A23 e A24

30 de junho de 2010

Portagens na A23 seriam "facada no Interior"

Em declarações à Lusa, Jorge Patrão preferiu não equacionar eventuais medidas a tomar caso a iniciativa avance, já que "o próprio primeiro ministro sempre defendeu o contrário", mas afirmou que impor esse pagamento na autoestrada da Beira Interior seria desfavorecer a população, a macroeconomia e o turismo da zona.


"Neste tempo em que se completou a A23 e a A25, a Serra da Estrela cresceu de 150 000 dormidas para mais de 600 000 em 2009. Uma das condições que apresentámos aos investidores foi a de que o destino ficaria ligado aos grandes centros demográficos de Lisboa e Porto sem portagens", contou o responsável.

Além disso, acrescentou, desde a regulamentação do plano rodoviário nacional que as duas autoestradas são consideradas como fator de equilíbrio entre o interior e o litoral.

"Continuarei a bater-me por essa situação, que não pode ser desvirtuada. Estaríamos outra vez a dar mais uma facada no interior", referiu Jorge Patrão, sublinhando que a receita potencial dessas portagens nem seria significativa, sobretudo se em comparação com o litoral.

Opinião semelhante tem o presidente da Câmara de Castelo Branco, Joaquim Morão, que alertou para a falta de alternativa à autoestrada, já delineada por cima do itinerário complementar 2.

Segundo o autarca, a Beira Interior "não tem condições" para suportar estes eventuais novos custos, já que o seu desenvolvimento económico é "muito débil".

"Se houver portagens, o nosso desenvolvimento económico sofre um revés, na medida em que é mais um custo para empresas e para as pessoas, inclusive em termos turísticos", apontou.

Também o presidente da Câmara de Torres Novas, António Rodrigues, lembrou que "não há vias alternativas à A23", mas tem uma preocupação extra -- a consequente e "aberrante" passagem de milhares de carros no interior da cidade, o que afectará a dinâmica urbana e a segurança.

"E quem vai depois para o Norte ou volta para a A23 ou vai para trás, para Tomar. Não faz sentido nenhum", considerou o responsável.

Afirmando-se certo de que "nenhum estudo" justificará a aplicação de portagens, o presidente municipal diz "acreditar no bom senso".

O Governo anunciou recentemente que está a analisar a eventual introdução de portagens em algumas vias, entre as quais a A23, devendo essa análise estar concluída ainda este ano.

(Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico)



Fonte: SIC

xxcucoxx

18 de junho de 2010

Louriçal do Campo sem Escola

"Mais um ano lectivo



Por: Agostinho Gonçalves Dias

17 de Junho de 2010 às 14:30h
Mais um ano lectivo está a chegar ao fim. Se houve seriedade no ensino ao longo do ano, agora seria a altura de avaliar os conhecimentos, através de exames sérios. Porque se duvida da seriedade do ensino, também se duvida da seriedade dos exames, e os alunos são os primeiros a manifestar essa dúvida.

 
Quem lê jornais, ou cá trabalha, sabe da luta das Escolas para aparecerem com notícias das mais variadas actividades: dias da criança ou do ambiente, desfiles de carnaval, ou das bruxas, semanas de tudo e mais alguma coisa, visitas de estudo, exposições, actividades lúdicas, etc, etc. Às vezes fico a pensar, com tanta actividade, se fica tempo para as aulas clássicas, com a aprendizagem dos programas. Como os exames são sobre os programas dados a correr, dificilmente poderão ser sérios. E os alunos é que ficam prejudicados…

 
O pior é o que o facilitismo até permite a alunos retidos no 8.º ano, poderem passar para o 10.º fazendo os tais exames em que nem eles acreditam! As escolas não têm culpa da situação, pois se não apresentarem este tipo de actividades, sujeitam-se a uma avaliação inferior, ou a não terem alunos no próximo ano, já que o que se procura não é a aprendizagem dos programas, mas uma escola aberta e divertida…

 
Outra notícia que surgiu foi a do fecho de mais de 900 Escolas Básicas afectando cerca de 10.000 crianças; são as tais com menos de 20 alunos. No distrito de Castelo Branco é possível fecharem cerca de 30, sendo cinco do concelho (Freixial do Campo, Salgueiro do Campo, Retaxo, Louriçal do Campo e Sobral do Campo), duas do concelho de Idanha-a-Nova (S. Miguel D’Acha e Rosmaninhal), três de Penamacor (Benquerença, Pedrógão e Águas), 3 de Proença-a-Nova (Moitas, Pedra do Altar e Lameiras), duas da Sertã (Outeiro da Lagoa e Carvalhal), 3 de Vila Velha de Ródão (Fratel, Porto do Tejo e Sarnadas). É mais um sinal de desertificação das nossas aldeias que pouco a pouco ficam reduzidas a Lares e Centro de Dia para idosos. Se for mesmo para bem dos alunos e da sua aprendizagem, como dizem, vale a pena a separação prematura da família, destas crianças (?)...

 
De facto a Escola é o alicerce do futuro do país: o conhecimento, o sabê-lo aplicar a novas situações, farão a sociedade do futuro. No entanto, ainda estamos muito longe desta sociedade do conhecimento, exceptuando alunos dotados e com boas ajudas em casa, ou que estudem em escolas excepcionais. Teremos de ser muito mais exigentes com o nosso ensino."

Por Jornal "A Reconquista" de 17 de Junho de 2010.


13 de junho de 2010

26 de maio de 2010

6.º CONVÍVIO DE BENFIQUISTAS (Fotos de testemunho)



Boa noite a todos os nossos bloguistas cucos,

Tal como seria de esperar, cá estão as belas fotos como testemunho do 6ª Convívio de Benfiquistas realizado em Louriçal do Campo. Este ano, com a presença especial do nosso bem conhecido antigo jogador do SLBenfica, o Veloso.

De destacar uma nova imagem artística que se fez revelar ao sabor da festa.. O Grande Galefe com a sua concertina...., destacando desde já também, a sua bela banda. Carteiro e outros.

Lá os esperamos nos grandiosos festejos de S. Fiel em companhia, (opinião própria), do Mai Uma. Neste campo, quero desde já anunciar em primeira mão que, poderá haver outros que se provavelmente, se poderão juntar com outro tipo de instrumento musical, o que para já, estará no segredo dos Deuses.

Agradecimentos especiais á disponibilização das fotos por parte de um participante anónimo.

Para já é tudo, e continuação de bons festejos gloriosos.

xxcucoxx

10 de maio de 2010

6.º CONVÍVIO DE BENFIQUISTAS • Louriçal do Campo




Irá realizar-se no próximo Sábado, dia 15 de Maio de 2010, em Louriçal do Campo, as comemorações do Grande Campeão Nacional de Futebol 2009/10.

Trata-se do 6º Convívio dos Benfiquistas onde, desde já, estão prometidas grandes surpresas.

Resta desejar votos de boas comemorações e, claro está, uma vez que não poderei estar presente, cá aguardo os testemunhos desse grande festejo.

Votos de boas "Goleadas benfiquistas"....

Agradecimentos ao João José Breia pela concretização do cartaz...

xxcucoxx

3 de maio de 2010

Uma figura pública. Um conterrâneo.....

  

Joaquim Nicolau (25 de Julho de 1964, Louriçal do Campo, Castelo Branco, Portugal) é um actor português, conhecido por fazer drama e comédia, e especialmente televisão. Actuou na peça A Crise dos 40, e fez parte do elenco de Malucos do Riso durante vários anos.



Fez parte do grupo Meia Preta, com Filipe Crawford e André Gago, entre outros. Este grupo, que se formou a meio da década de oitenta do século XX, trabalhava a técnica da máscara e a commedia dell'arte, a ele muito deve o actual teatro de máscaras em Portugal.


Os Comicazes e a Vã Guarda, Os Portas, a Gargalhada de Yorick, são alguns dos espectáculos em que participou.




TELEVISÃO:
  • Elenco Principal, Padre Valente em Sentimentos, TVI 2009
  • Participação Especial, Melo em Camilo - o Presidente, SIC 2009
  • Participação Especial, Pai de Diana em T2 Para 3, RTP 2009
  • Participação Especial, Januário em Conta-me como foi, RTP 2008
  • Elenco Principal, Zé Bento em A Outra, TVI 2008
  • Elenco Principal, em Casos da Vida (2008), TVI 2007-2008
  • Elenco Principal, Várias Personagens em Ainda Bem Que Apareceste, RTP 2007
  • Elenco Principal, João Chagas em O Dia do Regicídio, RTP 2007
  • Elenco Principal, André em Aqui Não Há Quem Viva, SIC 2006-2007
  • Elenco Principal, Várias Personagens em Malucos do Riso, SIC 1999-2006 (várias séries)
  • Elenco Adicional, Eduardo em O Bando dos Quatro, TVI 2006
  • Elenco Adicional, Produtor em Floribella, SIC 2006
  • Elenco Principal, Pirraça em Quando os Lobos Uivam, RTP 2005
  • Participação Especial, Yurin em Inspector Max, TVI 2005
  • Elenco Principal, Várias Personagens em Maré Alta, SIC 2004
  • Elenco Principal, Cristino em Baía das Mulheres, TVI 2004
  • Participação Especial, em B.R.I.G.A.D., TF1 2004
  • Elenco Principal, José Lima em Saber Amar, TVI 2003
  • Participação Especial, Isaac em Coração Malandro, TVI 2003
  • Elenco Adicional, Amílcar em Anjo Selvagem, TVI 2002
  • Elenco Principal, Paulo em Bons Vizinhos, TVI 2002
  • Participação Especial, em Bairro da Fonte, SIC 2002
  • Participação Especial, em Fábrica de Anedotas, RTP 2001
  • Participação Especial, em Cuidado com as Aparências, SIC 2001
  • Elenco Principal, Zé Maria em Olhos de Água, TVI 2000-2001
  • Participação Especial, em A Loja de Camilo, SIC 1999
  • Participação Especial, Chulo em Jornalistas, SIC 1999
  • Elenco Principal, Ernesto em Capitão Roby, SIC 1999
  • Participação Especial, em Médico de Família, SIC 1999
  • Participação Especial, em O Meu, o Teu e o Nosso, RTP 1999
  • Elenco Principal, Zé Manel em Diário de Maria, RTP 1998
  • Elenco Principal, Mariano em Camilo na Prisão, SIC 1997-1998
  • Figuração Especial, Taxista em Terra Mãe, RTP 1997
  • Participação Especial, Fotógrafo em Não Há Duas Sem Três, RTP 1997
  • Participação Especiaç, Agente da PJ em Cinzas, RTP 1992
CINEMA:


  • Humbero em Conexão, de Leonel Vieira, 200
  • Dr. Machado em Contrato, de Nicolau Breyner, 2008
  • Cliente em Arte de Roubar, de Leonel Vieira, 2008
  • Mecânico em Do Outro Lado do Mundo, de Leandro Ferreira, 2007
  • Marcelino em Julgamento, de Leonel Vieira, 2007
  • Ramalho em Filme da Treta, de José Sacramento, 2006
  • Perito da PJ em Um Tiro no Escuro, de Leonel Vieira, 2004
  • Ferreiro em Lagardère, de Henri Helman, 2003 (telefilme francês)
  • Sérgio Mano em Os Imortais, de António Pedro Vasconcelos, 2003
  • Camionista em Les frangines, de Laurence Katrian, 2002 (telefilme francês)
  • Terrorista em A Bomba, de Leonel Vieira, 2001
  • Sargento Costa em A Noiva, de Luís Galvão Teles, 2000
  • Chico em Mustang, de Leonel Vieira, 2000
  • Homem na Multidão em Capitães de Abril, de Maria de Medeiros, 1999
  • Polícia em 'O Ralo, de Tiago Guedes e Frederico Serra, 1999
  • Trabalhador em Zona J, de Leonel Vieira, 1998
  • Guerrilheiro em The Garden of Redemption, de Thomas Michael Donnelly, 1996
  • Armando em Cinco Dias, Cinco Noites, de José Fonseca e Costa, 1995
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Joaquim_Nicolau


xxcucoxx

1 de maio de 2010

Excursão a Fátima - 15 de Maio 2010


Boa viagem aos visitantes.

xxcucoxx

29 de março de 2010

2º Convivio "Os Breias" a realizar-se em Louriçal do Campo

Ora boas,

Lá vai mais um ano de confraternização de uma das maiores familias de Louriçal do Campo. Os "Breias" entram novamente em grande pelo seu 2º convivio. Mais um grande encontro de familias que permite a união. 

Votos de grandes comezanas !!

xxcucoxx
  

21 de março de 2010

Grupo "Cuco Quad Racing" em festa


Fonte: Jornal Reconquista de 11 de Março de 2010

16 de março de 2010

As raizes são as nossas.....


Alcides Duarte de Deus



Nasceu em 1966 e é natural de Louriçal do Campo, concelho e distrito de Castelo Branco.


Iniciou os estudos musicais aos 8 anos na Sociedade Filarmónica de Louriçal do Campo com o Maestro Joaquim Cabral. O seu primeiro instrumento foi o bombardino, mas aos 12 anos mudou para trompete.


Estudou na Academia dos Amadores de Música em Lisboa, na Escola de Música Nª Srª do Cabo em Linda-A-Velha e na Gualdim Pais em Tomar.


Teve como Professores:


- Trompete: Nelson Rocha, Joaquim Teixeira, Ricardo carvalho e Jorge Almeida;


- Formação Musical: Gabriela Canavilhas e Salomé Leal;


- História da Música: Malafaia;


- Análise e Técnicas de Composição: Helena Rita;


- Acústica: João Lemos;


- Harmonia e instrumentação: José Brito, actual Chefe da Banda Sinfónica da PSP.


Aos 19 anos ingressou na Banda da Força Aérea Portuguesa.
Em 1991 ingressou na Banda Sinfónica da polícia de Segurança Pública, frequentou o curso de Sub-Chefe, sendo actualmente o seu posto.


Tem colaborado com várias bandas civis, tais como: Louriçal do Campo, Retaxo, Idanha-A-Nova, Gualdim Pais, Caminhos de Ferro Portugueses, Carris, Amadora, Pêro Pinheiro, Fanhões, Carregueira, Azinhaga, Alpiarça, Golegã, Meia-Via, Pedrógão, Amarante, Vila Meã, Marmeleira, Torres Novas, Entroncamento, entre outras.


Foi Maestro Adjunto na Banda Operária Torrejana durante 9 anos.


Fez o curso de regência com os professores Robert Hullian, Carlos Marques e Adelino Mota, em Fermentelos.

Participou em várias Master-Class com a banda sinfónica da Polícia a cargo do maestro americano David Wituell, participou em 2 festivais internacionais de música militar em França e 1 concerto com a banda da Marmeleira no Parlamento Europeu em Bruxelas.


Desde Fevereiro de 2006 é o Maestro e responsável pela Escola de Música da Associação Recreativa Filarmónica Frazoeirense.


Fonte: http://www.filarmonica.frazoeirense.com/maestro.htm

 
xxcucoxx

2 de março de 2010

Empresário revoluciona indústria eólica




http://aeiou.expresso.pt/video-empresario-portugues-revoluciona-industria-eolica=f554210



Está a ver a tradicional torre eólica com as pás a descrever círculos imaginários? Imagine agora uma eólica completamente diferente: sem pás, disposta na vertical, com rendimentos superiores às eólicas convencionais e ...30% mais barata. Um empresário português radicado na Rússia quer "invadir" o mercado mundial das renováveis com as novas turbinas eólicas.

Vitor Andrade (www.expresso.pt)
11:44 Sexta-feira, 25 de Dez de 2009

1 de março de 2010

Uma vida ao compasso da música



Tem 77 anos, mas quem olha para o seu rosto já algo esculpido pelas tramas da vida, porém banhado por uma jovialidade luminosa no olhar, não lhe adivinha a idade. Dono de uma visão extraordinária e fora do comum para a música, recusa-se prontamente a admitir que nasceu com um dom. Prefere antes arriscar que a sua vida o presenteou com uma pequena habilidade, que em nada pode ser comparada aos verdadeiros génios da música, como Mozart, Richard Wagner ou Tchaikovsky. A sua força de carácter reside desde sempre na sua humildade genuína, que lhe permite admirar os melhores, sem reservas, mas que não o impede de seguir o caminho da exigente perfeição. Assim é Joaquim Cabral, mestre da Banda Filarmónica de Louriçal do Campo.

Depois de uma infância calcorreada pelos ritmos calmos que caracterizam as vivências da aldeia, Joaquim Cabral entra, aos nove anos, como aprendiz na Filarmónica da terra que o viu nascer, Louriçal do Campo, no concelho de Castelo Branco. Na altura, o seu pai pertencia à Comissão de Apoio para a criação da colectividade e daí provém o seu primeiro contacto com a música. Mas não foi uma caminhada fácil.

As artes musicais não eram encaradas como uma fonte válida de sustento, antes resultavam de espíritos sonhadores. “Não tenho posses para te manter a estudar numa escola de música”, costumava dizer-lhe o pai, que ensinou o filho a ser pedreiro e o obrigou a desenvolver a actividade até atingir a maioridade.

Joaquim desdobrava as horas do dia para que, além de fazer a vontade ao pai, conseguisse praticar, nos tempos livres, o seu sonho na Filarmónica.

Com somente 15 anos era um aluno que não passava despercebido ao ouvido sensível dos mais conhecedores.
Os mestres e os regentes que iam passando pela Banda já não dispensavam a sua ajuda para dar aulas de solfejo e de como tirar cavas das partituras aos elementos menos experientes do grupo. “Ó rapaz, tenho aqui esta partitura...tira-me lá um papel para trombone”, “Ó moço, vai lá dar lição àquele menino”, pediam-lhe, amiúde. Daí a substituir o regente da Banda em caso de ausência foi um pequeno passo.

Estava na flor da idade dos seus 18 anos.

Entretanto conheceu uma moça da terra. A sua alma preencheu-se, o amor tomou-lhe o coração. Casou.

Quando já tinha a sua filha mais velha, contava ele 24 anos, surgiu a oportunidade de ingressar na Banda da Companhia de Carris de Ferro de Lisboa. Foram tempos difíceis, esses. Esteve três longos meses longe da sua esposa e da menina, ainda pequena. Foi o tempo necessário para que conseguisse estabelecer uma nova vida na capital portuguesa, digna de receber os seus dois tesouros.

A Banda da Companhia de Carris contribuiu de forma decisiva na formação musical de Joaquim Cabral.
O estudo e treino intensos permitiram que o jovem se aventurasse pelos caminhos da composição. Começou por escrever algumas partituras simples e a instrumentá-las. Aos poucos ganhou a confiança suficiente para que não deixasse morrer o gosto, contando, hoje em dia, com uma vasta panóplia de músicas da sua autoria, desde marchas de rua a marchas fúnebres.


A sua estada de 10 anos em Lisboa permitiu ainda o aperfeiçoamento em clarinete e em outros instrumentos de sopro habituais nas Filarmónicas.
Mas o destino quis que ele volvesse ao seu território raiano. O regresso ficou escrito em 1964, quando a Banda do Instituto de São Fiel procurava um novo regente e o convidou a concorrer ao cargo. Joaquim Cabral entrou e aí permaneceu até à data da sua aposentação.

Durante esse período de tempo, concluiu igualmente com aproveitamento o 5º Ciclo de Aperfeiçoamento de Regentes, promovido pelo INATEL, em Lisboa. Esse foi, talvez, o seu ciclo de vida mais intenso e produtivo, uma vez que foi também convidado como regente para as Filarmónicas do Retaxo, de Idanha-a-Nova, de Silvares e da Covilhã. Em todas elas havia um músico mais habilitado que saía com as respectivas Bandas na sua ausência.

A vinda para o Louriçal marcou ainda o seu retorno à Banda Filarmónica da povoação, onde os primórdios da sua habilidade para a música tinham despertado. Agora, o mestre iria ajudar a despertar os dons mais tímidos e adormecidos que permaneciam incólumes pela aldeia.
A luta pela Banda da terra.


É pessoa muito respeitada no Louriçal. Por velhos e novos. Todos valorizam o seu carácter de ferro, que parece resistir a qualquer intempérie da existência e que sempre tem lutado contra ventos destrutivos que, por mais de uma vez, ameaçaram ruir a harmonia da Filarmónica.

Pela Banda, chegou a estar cerca de 70 horas fora de casa, pulando de aldeia em aldeia, de actuação em actuação.

Dormiu com o grupo em palheiros, sujeitou-se a alimentação deficiente, a demasiadas noites mal dormidas. A sua memória gravou com mais intensidade um dia em que acompanhou, logo de madrugada, os seus músicos a pé até à freguesia da Póvoa do Rio de Moinhos, que dista perto de 15 quilómetros do Louriçal. A festa prolongou-se até altas horas do dia seguinte, mas um longo caminho de regresso os esperava. Só com sorte conseguiam, de quando em vez, arranjar uma carroça para os transportar.

Fez muitos sacrifícios pela Filarmónica. Nem sempre lhe foi reconhecido o mérito do esforço. E, embora a Banda fizesse sucesso por onde passasse, não raras vezes o mestre sentiu tentação de deitar por terra tudo o que o seu suor ajudou a erguer. No momento seguinte, porém, a recompensa surgia, na maior parte das vezes, num modesto mas gratificante assomo. Joaquim Cabral há-de sempre relembrar, com uma emoção que lhe embarga a voz, o dia em que, numa Festa de São Fiel, os jovens que se divertiam no arraial começaram
a cantar com a Banda, criando um ambiente sonoro único. O espectáculo foi, obviamente, agraciado com enorme ovação e o regente sentiu, de novo, reflorescer um ânimo revigorado, que parecia começar a esbater-se.

Por amor à música, por amor ao ensino da música e pela paixão arreigada que sente pela sua terra, Joaquim Cabral lutou sempre para que a única colectividade resistente no Louriçal do Campo não perdesse a vida.

Ainda hoje, o mestre continua a transmitir diariamente a sua sabedoria aos cerca de 30 elementos que compõem o grupo actual. E, essencialmente, gosta do que faz. “Diz que ninguém está contente com o trabalho que possui, mas eu gosto do meu trabalho”, salienta, com merecido orgulho. Não tem qualquer problema em assumir que o seu elevado grau de exigência o leva, por vezes, a ferver em pouca água. Os ralhos têm de existir em certos casos mais lassos e preguiçosos; em pessoas que, segundo o regente, podem e devem fazer mais.

É o seu sentido de perfeccionismo que sobressai, nestas alturas, e que faz dele um grande professor e amigo. E não há actuação, normalmente nos concertos, em que não suba ao palco com um nervoso miudinho a incomodar-lhe o estômago.




Hoje, já praticamente não sai com a Banda. Começa a sentir que a sua idade já não permite grandes ausências. Além disso, a sua esposa encontra-se doente e a precisar continuamente dos seus cuidados. As suas três filhas têm vida já estabelecida, duas delas em Lisboa, pelo que se torna difícil estarem presentes na velhice dos pais.
Depois de cerca de 30 anos seguidos com a Banda Filarmónica do Louriçal a seu cargo, pensa que pode estar para breve a sua saída. Mas tem alguém, alguém do seu sangue, alguém a quem ama verdadeiramente, que poderá dar continuidade ao seu meritório trabalho: a sua filha que está a viver em Castelo Branco e que toca na Banda nas horas vagas, tal como o seu pai fazia noutros tempos, caminhando por entre partituras ao compasso da música da vida.


Fonte: http://www.adraces.pt/ficheiros/conteudos/1174410081Viver002.pdf

xxcucoxx