Seja bem-vindo

21 de abril de 2011

Inaugurado o fórum Louriçal do Campo

http://lourical.forumeiros.net/


Olá a Todos,

É com muita alegria que vos comunico da inauguração do fórum Louriçal do Campo.

Criado especialmente a pensar na grande comunidade e amigos que nos unem a Louriçal do Campo. Trata-se de um espaço diferente que vem complementar os já existentes na Internet.

O grande objectivo da sua criação é o de fomentar a partilha de conhecimentos e experiências através perguntas e respostas aos vários tópicos que deverão ser criados pelos participantes de acordo com as Categorias já existentes.

Faço votos para que, tal como os já existentes, este espaço se traduza num sucesso sempre com um único intuito. Unir e fortalecer a comunidade e amigos de Louriçal do Campo, e sobretudo, expôr cada vez mais
Louriçal do Campo no mundo.

Regista-te e Participa!! Poderás começar, desde já, com a criação de um tópico de conversa.


Obrigado a todos,

xxcucoxx

Santa e Feliz Páscoa !



Em todo o Mundo, o simbolísmo e os festejos da Páscoa estão sempre ligados à renovação, à chegada da liberdade, à passagem para um plano melhor, à ressurreição, eventos que se dão quando um novo ser surge dentro de uma mesma pessoa, repleto de bondade e fraternidade em seu coração, sempre disposto a ajudar o próximo em sua luta diária por uma vida terrena melhor.

Durante esta semana de comemoração da Páscoa, da ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, os ovos de chocolate têm pouca importância diante do dever de abaixar a cabeça, pensar no sacrifício que Jesus fez por todos nós e, só então, elevar nossos olhos aos céus para que, ressuscitados, possamos aprender e desenvolver o dom de perdoar a quem nos tem ofendido para seguirmos em frente, rumo aos braços seguros de Deus.

Os tempos que correm são difíceis. Tolerância, respeito e muita serenidade, a meu ver, são os compostos necessários da receita mais adequada para podermos viver, da melhor forma, os nossos dias, um de cada vez.

Quero deixar uma mensagem de conforto aos seguidores e não seguidores desde espaço, votos de Santa e Feliz Páscoa em comunhão com as vossas famílias.  

Santa e Feliz Páscoa,

xxcucoxx



15 de abril de 2011

Limpeza dos Terrenos Florestais



“Os proprietários ou administradores de terrenos florestais são obrigados a proceder, até 15 de Abril, à limpeza de faixas com uma largura mínima de 50 metros à volta das habitações, estaleiros, oficinas, armazéns ou outras edificações, alerta a Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

A lei impõe ainda a limpeza de uma faixa de terreno com a largura mínima de 100 metros à volta dos aglomerados populacionais (conjunto de edifícios próximos com a distância entre si de 50 metros e com dez ou mais fogos) inseridos ou confinantes com os espaços florestais.

De acordo com a Comissão, “entende-se como limpeza a remoção de matos e arbustos, a remoção ou desramação de árvores de forma a manter a distância mínima de quatro metros entre as copas e distanciadas, no mínimo, cinco metros das edificações”.

O Decreto-Lei n.º 17/2009, de 14 de Janeiro, prevê coimas aos infractores entre 140€ e 5.000€ tratando-se de pessoas singulares; e de 800€ a 60.000€ no caso de pessoas colectivas.”



Louriçal do Campo, que pela sua localização geográfica, encontra-se naturalmente exposto ao flagêlo devastador dos incêncios. Infelizmente, a Serra da Gardunha tem sido palco destes tristes cenários. Só ano passado, foram aqui registados vários focos de incêndio que, só pela intervenção imediata dos meios mais apropriados, foi possível colmatar o que podería ter sido dramático. 

Pela ausência e despovoamento de pinheiros bravos (porque já arderam noutros incêndios), a Serra da Gardunha está repleta de mimosas. Essa praga que, anualmente, consome metros e metros quadrados de solo. Existem neste momento, lugares e caminhos totalmente inacessíveis porque as limpezas não são feitas.

Quero relembrar que, nos casos em que a Lei seja aplicável e que a mesma não esteja a ser cumprida pelos proprietários desses terrenos que por isso, são colocados em risco a vida e haveres de alheios, poderão ser accionadas fiscalizações e, se fôr o caso, a aplicação de coimas, mediante apresentação de queixa crime junto das entidades competentes.  

Deixo o alerta afim de despertar a sensibilidade e responsabilidade os proprietários que, eventualmente, não estejam em cumprimento com a lei e, sobretudo, evitar a propagação de eventuais incêndios.

xxcucuxx

14 de abril de 2011

A Páscoa de Hoje a Páscoa de "Ontem"


Passam os tempos, ficam as memórias!! 

Lembro-me tão bem como se fosse hoje. No Domingo e Segunda-feira de Páscoa, Louriçal do Campo vestia-se de festa. Jesus, ressuscitado, entrava em nossas casas, especialmente limpas e perfumadas, numa simbiose perfeita entre cheiros, sons e cores (tarefa árdua para as senhoras donas de casa).

A celebração da Missa de Domingo de Páscoa, era por si só, sinal de alegria. A povoação reunia-se no adro da igreja, uns para ir à Missa, outros para o convívio semanal.

Incumbidos pelos pais, nós os mais novatos, teríamos de estar presentes na celebração da Missa, mas com uma particularidade... O gosto especial de estar no coro da igreja, o que era fenomenal! Alguns malandrecos, tais como eu, passavam aquela hora da Missa a marcar, com a ajuda de uma moeda de "dois e quinhentos", as siglas do seu nome nas guardas do coro (eu, também ainda lá tenho a minha, datada a 1988). Nesta envolvênvia, existia um senão. A velha guarda, composta de homens maduros e de cabelos brancos (que colocavam seus chapéus pretos no banco a seu lado), ficavam sentados nos bancos mais atrás do coro. Nós os garotos, sentiamo-nos como quase que alunos desses senhores. Quando entre nós, saía uma gargalhada ou um riso mais valente, lá vinha um "xiuuuuuuuuuuuuuuuuuu" ou até mesmo um belo puxão de orelhas.

O final da Missa, começava com o rebater dos sinos da torre da igreja que durava a tarde toda de Domingo. Várias equipas de jovens se revezavam para que os sinos não se calassem. Não parece, mas aquilo de puxar as cordas de forma alternada e sempre com um ritmo infernal, fazia doer os braços.

O já falecido, "Zé Cheva" era pessoa sempre presente nestas coisas. Era ele que garantia o ritmo do bater no sino mas sobretudo, a qualidade das cordas. Sim, estas eram de nylon que passavam (e ainda passam) por dentro de um tudo metálico que as conduz aos sinos. As extremidades desses tubos tinham farpas que não ajudavam à durabilidade das cordas.

Começava, então, a volta do Padre Agostinho pelas casas da aldeia levando consigo Jesus Cristo na Cruz abençoando as casas por onde ia entrando. Esta volta começava pelas casas mais próximas á igreja, normalmente, pela rua trás de igreja, com direcção ao casalinho, passava para o bairro Sra da Serra, centro do povo e só lá para o final do dia, chegava aos cabeços e marrada.

O compasso passava de rua em rua e ouvia-se a campainha sonante a avisar da sua chegada. "Vem aí a Cruz" diziam donos das casas correndo a abrir as suas portas!


Normalmente era na sala das casas que se recebia o Padre. Os donos, familiares e amigos faziam uma roda, encostados de costas para as paredes, e aí, de uma forma comovida e alegria realmente sentida, beijavam a Cruz de Jesus Cristo ressuscitado à medida que ia passando.

À saida, o sacristão já com o sino virado ao contrário, dirigia-se ao dono da casa e era sinal de pedir uma moedinha para ele.

Normalmente, em casas de maior abundância, após a a passagem do Padre, os donos vinham à varanda da sala, metiam a mão no bolso e mandavam uma moeditas juntamente com uns rebuçados para a malta nova que cá fora já estava à sua espera.

No dia de Segunda-feira, o ritual repetia-se na Torre e casas que estavam mais isoladas da povoação, nomeadamente, na Oles.

Esta tradição acabou na nossa aldeia. Até então, a celebração da Missa de Domingo de Páscoa ainda marca a presença com muita alegria, ainda se tocam os sinos da torre da igreja mas, já não pela tarde toda, e muito menos com o arrebate de antigamente. As famílias continuam a estar presentes como forma de festividade e alegria mas, já não se visitam entre casas, as pessoas presentes são cada vez menos, mas ...(quantos mas ainda faltam???).

Estamos em 2011, os festejos da Páscoa aproximam-se e, é com muita alegria e satisfação que comunico, desde já, que este ano será retomada a volta dada pelo Sr Padre pelas casas da nossa aldeia. O reviver dos tempos antigos (a mais de 25 anos), será um dos pontos fortes mais esperado.



xxcucoxx




10 de abril de 2011

Louriçal do Campo em "Obras"


Louriçal do Campo encontra-se em Obras. Os danos que têm sido registos na calçada da avenida principal da aldeia, obrigaram a obras de repavimentação. Uma calçada com mais de 20 anos e com muitos altos e baixos consequentes de várias reparações quanto rebentamento de condutas de água e, sobretudo pela passagem de veículos de grande porte, são como as principais razões do desnivelamento da calçada.

O levantamento da calçada iniciou-se no passado sábado, junto do Café "O Retiro dos Amigos" que se irá prolongar até ao adro da igreja.

Os trabalhos de conservação serão feitos por etapas com o objectivo de minimizar as dificuldades de acessos e circulação pelas ruas de Louriçal do Campo.

Esteve tipo de obras condicionam sempre, de uma forma ou de outra, a vida das pessoas. Paciência será necessária a suficiente para ver o final das obras de repavimentação.

Esperamos que as obras sejam breves e por uma boa causa.

xxcucoxx

7 de abril de 2011

Governo adia portagens na A23



O Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações (MOPTC) anunciou quarta-feira, 6 de Abril, o adiamento da introdução de portagens na A23, prevista a partir do próximo dia 15 de Abril, tendo em conta um parecer do Centro Jurídico da Presidência do Conselho de Ministros (CENJUR) que defende que a aprovação de tal medida por um Governo de gestão seria “inconstitucional”.

Assim, o início da cobrança de portagens nas auto-estradas da Beira Interior (A23), Beiras Litoral e Alta, Interior Norte e Algarve fica para já adiado, cabendo ao futuro Governo que sair das eleições de 5 de Junho a aprovação do Decreto-lei destinado a introduzir portagens nas auto-estadas SCUT e a respectiva definição do regime de isenções e descontos a aplicar.


De acordo com o comunicado do MOPTC, o CENJUR considerou que a aprovação pelo actual Governo de uma iniciativa legislativa para introduzir novas portagens seria “inconstitucional” já que um “Governo de gestão só pode praticar os actos ‘estritamente necessário’ à gestão dos negócios públicos” e esse limite constitucional seria ultrapassado ao definir o regime de isenções e descontos e consequente alteração dos termos das concessões em vigor.


O MOPTC sustenta ainda que “a aprovação da legislação referida e, em particular, a alteração dos termos das concessões aplicáveis, implicaria uma limitação dos poderes de decisão do futuro Governo (em matéria, aliás, controvertida entre os partidos concorrentes às eleições)”.


Defendendo que subsiste “uma divergência fundamental entre o Governo e o maior partido da oposição quanto à existência de isenções e quanto ao próprio regime de descontos nas SCUT, a benefício da discriminação positiva das empresas e populações locais, sendo que o Governo preconiza a existência de isenções e o PSD repetidamente as contesta”, o Governo conclui que a concretização legislativa da cobrança de portagens “condicionaria os poderes de decisão do futuro Governo e ultrapassaria o conceito de acto ‘estritamente necessário’ à gestão dos negócios públicos”.


Apesar deste adiamento, a Comissão de Utentes contra as Portagens na A23, A24 e A25 já anunciou que esta medida é provisória e que pretendem continuar os protestos já anunciados, como é o caso da marcha lenta agendada para sexta-feira, 8 de Abril, nas auto-estradas em causa.

Fonte: http://www.jornaldenisa.com/noticias/actualidade/1314-governo-adia-introducao-de-portagens-na-a23.html

5 de abril de 2011

Porco no Espeto - 09 de Abril de 2010



Boas,

De acordo com as informações retidas, quero informar desde já que irá decorrer um convívio organizado por um grupo de Colaboradores de uma oficina reparadora de automóveis de um conterrâneo nosso e é extensível não só aos empregados mas também a todos os seus amigos.

Este evento irá realizar-se já no próximo dia 9 de Abril (Sábado) na Barra Cheia (COINA - Barreiro).

Ementa: Porco no Espeto

* Homens 15 eur.
* Mulheres 10 eur.

As confirmações deverão ser dadas até dia 07 de Abril pelo 968087221 (João Breia).

xxcucoxx



2 de abril de 2011

O Florir da Mimosa


Coincidentemente, acontece com a altura do Carnaval. A Serra da Gardunha enche-nos de alegria com tantas e mais tantas cores amarelinhas que brotam das mimosas. Cenário único no ano. Os incêncios fustigaram os pinheiros bravos, a mimosa, com as suas características dominantes, aproveita-se da terra não povoada e ergem-se sem que tenham que pedir liçenca. Ao longo do ano, permanecem despercebidas. A sua melhor prova de existência é através da sua ponderante prova de resistência. Através da inconfundível cor amarela da sua flor, se reconhece o seu povoamento nas fraldas da Serra da Gardunha.

xxcucoxx