Seja bem-vindo

30 de setembro de 2011

Freguesias vão reduzir. Nota negativa!



"O Documento Verde da Administração Local divulgado na segunda-feira impõe "a redução significativa" do número de freguesias, "dando-lhe escala, dimensão e novas competências, e apostando nas políticas de proximidade"

fonte: http://www.jn.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=2028727

Neste contexto, já há quem fale que Louriçal do Campo ficará em breve, sem sede de Junda Freguesia. Lardosa, Tinalhas ou São Vicente da Beira, poderão ser o "estado general" das Freguesias mais próximas. Não aceito tal ideia  mas, atendendo ás conjunturas do país, terei de dar de "barato". Obviamente que, para esses habitantes, será de todo um momento de incómodo, quando por necessidades diversas, terão de se fazer deslocar pelos seus próprios meios, aquando da resolução de assunto mais delicados junto desta entidade. Enfim, consequências da modernidade social.

É de minha opinião que, o desgoverno tem sido total. Sou, por vezes, criticado por ser apologista das ideias do Dr. Medina Carreia, mas, uma vez em regime democrático, as verdades têm de ser ditas e doa a quem tiver de doer.

Não sejamos tontos de uma vez por todas!! Convencemo-nos de uma vez por todas de que, todos nós não passamos de meros e insignificantes "números". E são estes que ditam os pareceres mediante estatísticas. Em qualquer tipo de análise crítica, não fará sentido a existência de uma sede de Junta de Freguesia em que através dos ditos "números", as pessoas morrem e  não nascem a título de compensação. E por sermos meros "números" (neste aspecto), quem manda, manda bem.

Gostaria de não entrar em particularidades (até porque as tenho, e provas não são poucas) mas, Louriçal do Campo encontra-se num fosso em que neste momento, não apresenta quaisquer competências dignas de criação de portefólios estratégicos afim do dinamismo tão necessário.  Provavelmente por falta de verbas cedidas por parte do Município.

Portanto, do que ainda vai havendo, já é pouco e do pouco que há, ainda será retirado quanto antes. Pergunto: O que será de futuro dos espaços que se vão esvaziando?? Junta, Escola? Que fazer deles? O tempo de crise, poderá traduzir-se em oportunidades. Sabemos bem que o actual Centro de Dia, funciona mesmo e só em regime diurno. Porque não, aproveitar o edifício das escolas, após algumas remodelações, nomeadamente, intrusão de elevadores e, aproveitar aquele espaço digno de uma extensão ao Centro de Dia. Os idosos iriam beneficiar de um espaço que lhes  oferece-se um estado de conforto de 24 horas/dia sob administração deste Centro.

Como alguém diz e que é residente em Louriçal do Campo "a nossa terra, não passará de uma pequena e insignificante colónia de férias para os seus filhos".

Meus amigos, é com muita mágoa que expresso o que me vai na alma mas, é para aqui que caminhamos. Sejamos realistas, por favor.

xxcucoxx

21 de setembro de 2011

Das vindimas à aguardente

Chegada a altura, (nos inícios do mês de Setembro), entre vales e planícies, dá-se a apanha da uva, dominada por vindima.


Hoje, tanto a recolha como o transporte das uvas, é feito com a ajuda de maquinaria moderna. Esta maquinaria passa também pelo esmagamento das mesmas que dantes era feito com a ajuda de um utensílio chamado sarindão.



Por este tempos, em Louriçal do Campo, já terão terminado as vindimas. Passados 7 dias, está na altura de fazer a muda do vinho. E o que fazer ao bagaço? Entenda-se como bagaço,  restos dos cachos de uva espremidos durante os dias de fermentação.

Haverá actualmente pouca gente que se dedique ao aproveitamento do bagaço para dele conseguir um liquído de elevado teor de álcool cujo nome se domina por aguardente. Bem precioso não só para o mata bicho do rigoroso Inverno mas também para deliciar os nossos belos bolos feitos no forno a lenha.

Com o propósito de fazer um "reset" á máquina das memórias, vamos tentar aqui reviver os momentos que outrora eram dedicados à conquista desse bem precioso - a aguardente.

O alambique é um utensílio feito em cobre, constituído por vários elementos (a pota é constituída por três peças: um recipiente de grande porte e arredondado onde se coloca o bagaço (pote), outro dominado por cabeça e um ou dois tubos que atravessam um tanque de água fria para que possa ser feita a condensação dos vapores. As junções das peças são vedadas com massa de cinza para não deixar passar o vapor.




Tomadas as peças e utensílios necessários, vamos à forma como fazer.

Feito o lume e de forma constante (usa-se lenha de carvalho, castanheiro ou torgos de urzes) colocando-se o alambique por cima, enche-se o recipiente maior com o bagaço quase até ao topo e deixava-se ferver. Durante a fervura é libertado vapor que sai por um tubo no cimo do pote, passa pela cabeça e saia já na forma líquida para um garrafão ou garrafa.

À medida que a aguardente era feita (com o mesmo bagaço), vai ficando mais fraca. Torna-se necessário a prova para sabermos se ainda apresenta um elevado teor de álcool. Quando este apresenta um teor de menor grau, retira-se esse bagaço e coloca-se outro para recomeçar a destilação.






Trata-se de um processo demorado que carece de muita paciência porque a aguardente sai pelo tubo em pequenas quantidades. Para criar "fio" e dar sabor, é normalmente utilizada uma folha verde de laranjeira.


xxcucoxx

8 de setembro de 2011

Preços portagens A23: 0,08 eur / Km

Olá a todos,

Parece que já se encontra definido o preço / Km percorrido na A23 que deverá rondar os oito cêntimos por Km.

Façamos contas: Ora se da saída de Lisboa, mais propriamente das portagens de Alverca (A1) até ás portagens de Torres Novas (entrada na A23), nos dias de hoje, já pagamos 5,65 eur, some-se mais cerca de 145 Km de A23, que custará a módica quantia de 11,60 eur (para uma viatura tarifada a classe 1).

Fazendo as contas no seu total (A1 mais A23), lá se vão cerca de 17 eur só em portagens para uma viagem de Lisboa com destino a Louriçal do Campo. Se a intenção foi de ir e voltar, passa ao dobro, ou seja, 34 eur só em portagens.

Como os preços do combustível estão pela hora da morte, a 1,37 eur / litro de gasóleo (valor médio a 08-09-2011), e se um automóvel fizer médias de 6,5 litros / 100 Km, ( por baixo), irá gastar, na viagem de ida e volta, um valor aproximado de 42 eur. E não se esqueçam que para isto, é necessário que o automóvel fique parado á porta de casa até ao dia de fazer a viagem de volta.

Meus amigos, reparem bem, 44,7% do gasto total é em portagens. Coisa que não cabe na cabeça da pessoa mais inteligente à face da terra. Já nem equaciono a questão das motos que, com apenas duas rodas, continuam a ser tarifadas como um automóvel de de quatro rodas (Classe 1). É uma aberração!!! 

Conclui-se assim que, se todos os meses do ano, e se pela autoestrada A1 e A23 foi feita uma unica viagem de Lisboa a Louriçal do Campo e viceversa, a brincadeira ficará entre os 900 eur e 1.000 eur. Valará a pena estar aqui a encher o c* a gulosos?? 

Não temos volta. Quase que somos obrigados, de novo, à frequência assídua na EN10 que ainda nos vai permitindo fazer um xixi pelo caminho, quando e no local que quisermos. Ok, são 4 horas de quase meia de viagem, mas deixo de perder 34 eur em portagens e mais algum em combustível porque aqui as velocidades são mais controladas.

Para quem já o tempo levou em memória, fica aqui o trajecto que teremos que retomar, isto se não formos abonados naquilo que já não existe, o EURO.



Mais uma facada ao Interior deste nosso país. 

Trata-se de uma vergonha nacional. Será que terei orgulho em ser português (p pequeno)?

xxcucoxx

5 de setembro de 2011

ARFAL 2011 - 13º Convívio concretizado



É a música a razão destes 13 anos de convívio que reúne os ex-executantes e amigos da Banda Filarmónica de Louriçal do Campo. Muitas histórias de vida como ex-executantes são contadas neste dia que avivam as peripécias passadas que em tempos de outrora fazeram furor.


Entre muitas, lembro-me de algumas que por lá foram contadas pelas bocas do amigo João e do Chico Domingues. Estes senhores são de grande reportório de histórias que, a meu ver, merecem ser escritas e enquadradas no tempo. O Mesquita, aquele condutor de autocarro que nos fazia chegar ás festas contratadas, tantas torturas passou com a malta.

Sempre debaixo das suas barbas, muitos foram os foguetes que esse autocarro transportou para que fossem lançados ao ar aquando do regresso da Banda a Louriçal do Campo.

E aquele castelo que ali para os lados de Pinhel, que não chegou a rebentar?? Lembram-se?? Claro está, lá estava o Chico metido ao barulho, pois foi ele que, na altura, as bombas de maior porte e as trouxe para Louriçal do Campo.


Se no ano passado já foram muitos, felizmente, este ano ainda foram muitos mais os que participaram. Por isso, uma nota positiva a este tipo de iniciativa que merece desde já, as maiores felicitações.


Não esquecendo a Banda Filarmónica que, a quem agradecemos muito, mas sobretudo ao nosso Mestre Sr Joaquim Cabral que a nós, tudo nos deu em termos musicais. O nosso Bem-Haja.


Fazemos votos para que o próximo convívio, o Sr Joaquim Cabral esteja presente entre nós, uma vez que este ano não foi de todo possível.
O convite fica extenso aos ex-executantes e amigos do sexo feminino que, até agora, não têm feito presença.


Para que os tempos não se esqueçam, ficam aqui e desde já alguns registos do convívio deste ano de 2011.























video


video

 
Bem-Haja aos que permitiram para que as raizes não caíam por terra.

xxcucoxx

4 de setembro de 2011

Para já, portagens adiadas para Outubro ou Novembro de 2011

Diz a edição de 31 de Agosto de 2011, do Jornal do Fundão que:

"Portagens adiadas


Partido que defendeu a sua introdução não sabe quando é que a A23 deixará de ser gratuita para os condutores

Estava prevista a entrada em funcionamento de portagens na A23 e A25 esta quarta-feira, dia 1 de Setembro, mas o certo é que a passagem de veículos continuará a ser gratuita por mais algumas semanas.

Embora o Estado já tenha chegado a acordo com as concessionárias das quatro Scut (entre as quais a concessionária da Auto-estrada da Beira Interior Scutvias) com vista à introdução de portagens, o Jornal de Negócios avançou na semana passada que falta apenas concluir a renegociação com a Nortscut, que opera no Nordeste Transmontano. “Sem acordos com as quatro concessionárias, não faz sentido avançar com portagens só nalgumas destas vias. A ideia é avançar tudo ao mesmo tempo”, explica ao JF uma fonte ligada ao processo.

Em Julho, após as eleições legislativas, o Governo anunciou que pretendia concretizar a introdução de portagens nas quatro Scut (auto-estradas sem custos para o utilizador) durante o Verão, mas continua a não dar indicações concretas à Estradas de Portugal (EP) sobre a concretização da medida.

Na A23 a renegociação que sustenta a disponibilidade da via por parte da concessionária para a colocação de portagens, está concluída. Na auto-estrada que liga a zona de Torres Novas a Abrantes estão desde Junho colocados todos os pórticos que farão a cobrança de portagens. Esta mesma cobrança, que será operada por uma empresa criada para o efeito, a Portvia, respeitará as condições exigidas pelo Governo que definirá num diploma o valor de portagem, modelo de isenções, entre outros aspectos. Esta matéria será depois discutida na Assembleia da República, votada pelos partidos e enviada para promulgação ao Presidente da República. Em caso de promulgação por Belém, o decreto-lei será publicado em Diário da República. Nesse momento, passarão a estar reunidas as condições para a aplicação de portagens. “Não haverá portagens, com toda a certeza, antes do final de Outubro ou início de Novembro”, completa a nossa fonte, que apenas tem uma certeza: “As portagens chegarão este ano”.

Enquanto o Governo e PSD nada dizem sobre esta matéria (foram questionados pelo Jornal do Fundão, mas não responderam), a Comissão de Utentes Contra as Portagens na A25, A23 e A24 está no terreno. Esta quarta-feira foi recebida em audição pela Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas. A audição aconteceu depois de, a 22 de Março, a Comissão ter entregado na Assembleia da República uma petição com 35.702 assinaturas."


Aguardemos por outras mais sobre possíveis adiamentos porque até agora, não passa de uma grande palhaçada por quem manda....

xxcucoxx