Seja bem-vindo

21 de setembro de 2011

Das vindimas à aguardente

Chegada a altura, (nos inícios do mês de Setembro), entre vales e planícies, dá-se a apanha da uva, dominada por vindima.


Hoje, tanto a recolha como o transporte das uvas, é feito com a ajuda de maquinaria moderna. Esta maquinaria passa também pelo esmagamento das mesmas que dantes era feito com a ajuda de um utensílio chamado sarindão.



Por este tempos, em Louriçal do Campo, já terão terminado as vindimas. Passados 7 dias, está na altura de fazer a muda do vinho. E o que fazer ao bagaço? Entenda-se como bagaço,  restos dos cachos de uva espremidos durante os dias de fermentação.

Haverá actualmente pouca gente que se dedique ao aproveitamento do bagaço para dele conseguir um liquído de elevado teor de álcool cujo nome se domina por aguardente. Bem precioso não só para o mata bicho do rigoroso Inverno mas também para deliciar os nossos belos bolos feitos no forno a lenha.

Com o propósito de fazer um "reset" á máquina das memórias, vamos tentar aqui reviver os momentos que outrora eram dedicados à conquista desse bem precioso - a aguardente.

O alambique é um utensílio feito em cobre, constituído por vários elementos (a pota é constituída por três peças: um recipiente de grande porte e arredondado onde se coloca o bagaço (pote), outro dominado por cabeça e um ou dois tubos que atravessam um tanque de água fria para que possa ser feita a condensação dos vapores. As junções das peças são vedadas com massa de cinza para não deixar passar o vapor.




Tomadas as peças e utensílios necessários, vamos à forma como fazer.

Feito o lume e de forma constante (usa-se lenha de carvalho, castanheiro ou torgos de urzes) colocando-se o alambique por cima, enche-se o recipiente maior com o bagaço quase até ao topo e deixava-se ferver. Durante a fervura é libertado vapor que sai por um tubo no cimo do pote, passa pela cabeça e saia já na forma líquida para um garrafão ou garrafa.

À medida que a aguardente era feita (com o mesmo bagaço), vai ficando mais fraca. Torna-se necessário a prova para sabermos se ainda apresenta um elevado teor de álcool. Quando este apresenta um teor de menor grau, retira-se esse bagaço e coloca-se outro para recomeçar a destilação.






Trata-se de um processo demorado que carece de muita paciência porque a aguardente sai pelo tubo em pequenas quantidades. Para criar "fio" e dar sabor, é normalmente utilizada uma folha verde de laranjeira.


xxcucoxx

Sem comentários: