Seja bem-vindo

30 de setembro de 2011

Freguesias vão reduzir. Nota negativa!



"O Documento Verde da Administração Local divulgado na segunda-feira impõe "a redução significativa" do número de freguesias, "dando-lhe escala, dimensão e novas competências, e apostando nas políticas de proximidade"

fonte: http://www.jn.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=2028727

Neste contexto, já há quem fale que Louriçal do Campo ficará em breve, sem sede de Junda Freguesia. Lardosa, Tinalhas ou São Vicente da Beira, poderão ser o "estado general" das Freguesias mais próximas. Não aceito tal ideia  mas, atendendo ás conjunturas do país, terei de dar de "barato". Obviamente que, para esses habitantes, será de todo um momento de incómodo, quando por necessidades diversas, terão de se fazer deslocar pelos seus próprios meios, aquando da resolução de assunto mais delicados junto desta entidade. Enfim, consequências da modernidade social.

É de minha opinião que, o desgoverno tem sido total. Sou, por vezes, criticado por ser apologista das ideias do Dr. Medina Carreia, mas, uma vez em regime democrático, as verdades têm de ser ditas e doa a quem tiver de doer.

Não sejamos tontos de uma vez por todas!! Convencemo-nos de uma vez por todas de que, todos nós não passamos de meros e insignificantes "números". E são estes que ditam os pareceres mediante estatísticas. Em qualquer tipo de análise crítica, não fará sentido a existência de uma sede de Junta de Freguesia em que através dos ditos "números", as pessoas morrem e  não nascem a título de compensação. E por sermos meros "números" (neste aspecto), quem manda, manda bem.

Gostaria de não entrar em particularidades (até porque as tenho, e provas não são poucas) mas, Louriçal do Campo encontra-se num fosso em que neste momento, não apresenta quaisquer competências dignas de criação de portefólios estratégicos afim do dinamismo tão necessário.  Provavelmente por falta de verbas cedidas por parte do Município.

Portanto, do que ainda vai havendo, já é pouco e do pouco que há, ainda será retirado quanto antes. Pergunto: O que será de futuro dos espaços que se vão esvaziando?? Junta, Escola? Que fazer deles? O tempo de crise, poderá traduzir-se em oportunidades. Sabemos bem que o actual Centro de Dia, funciona mesmo e só em regime diurno. Porque não, aproveitar o edifício das escolas, após algumas remodelações, nomeadamente, intrusão de elevadores e, aproveitar aquele espaço digno de uma extensão ao Centro de Dia. Os idosos iriam beneficiar de um espaço que lhes  oferece-se um estado de conforto de 24 horas/dia sob administração deste Centro.

Como alguém diz e que é residente em Louriçal do Campo "a nossa terra, não passará de uma pequena e insignificante colónia de férias para os seus filhos".

Meus amigos, é com muita mágoa que expresso o que me vai na alma mas, é para aqui que caminhamos. Sejamos realistas, por favor.

xxcucoxx

1 comentário:

Domingues disse...

É de facto com alguma mágoa que damos conta do que poderá vir a acontecer, é verdade.

No entanto creio, e passo a divagar, que não há vontade de apresentar mão firme para que medidas sejam tomadas, falarei até em incompetência - estarei a delirar decerto para pensar em tal coisa!

Se ficarmos sem Junta julgo que passaremos a ser uma das muitas localidades desgovernadas. Se até aqui pouco tem sido feito no sentido de incrementar progresso na localidade ... passará a ser bem pior, uma futura colónia de férias.

Corre-me o pensamento que, espero estar muito bem enganado, daqui por uns anos a nossa bela aldeia passa a ser nada mais que "um lugar onde vivi a minha infância", um lugar onde apenas quem vive por ali são as memórias de um povo, as recordações daquelas lembranças ... um monte de pedras ...

... tornar-se-há em nada!