Seja bem-vindo

9 de novembro de 2012

A imagem da Sagrada Família

Nas outras aldeias não sei como seja mas, relativamente a Louriçal do Campo e sobre este tema, sinto-me com um à-vontade suficiente para poder transmitir os meus conhecimentos nesta área de interesse. Certamente que haverá outras tantas personalidades residentes que, melhor que eu, o poderão fazer mas, atendendo à distância, de momento, não podemos recorrer a estas para aqui dar mais alguma ênfase ao tema.


O oratório da Sagrada Família


Neste âmbito e por uma questão de logística e organização geográfica, Louriçal do Campo está caracterizado por bairros (zonas devidamente definidas) que, cada uma delas tem a "circular" uma imagem da Sagrada Família.

Cada família, desde que associada e pertencente a estes bairros, recebe na sua casa uma vez por mês, o oratório da Sagrada Família que, perante do mesmo, deverão ser feitas as orações familiares.

Esta recepção é feita, normalmente, ao cair da noite pelo vizinho que antecede esta casa. Os associados estão inscritos na parte traseira do oratório e por isso, torna-se fácil a ordem de entrega ao vizinho que se segue.

Recebido o oratório, este permanece no lar 24 horas, onde uma vela ou um candeeiro de azeite o deverá iluminar. As rezas familiares deverão ser feitas enquanto aí permanece.

Por vezes, há esmolas a oferendar. Para isso, no oratório existe uma pequena ranhura onde poderão ser depositadas.

Passadas 24 horas, está na hora de entregar o oratório da Sagrada Família ao vizinho que se segue e inscrito como associado.

Chegado o fim dessa listagem, retoma-se de novo a entrega ao primeiro associado.

Estas imagens são réplicas de outras bem mais antigas que, caindo em desuso, se esqueceram no tempo e que, hoje, ninguém sabe onde estão. Presumívelmente e certamente em algumas casas na aldeia que todos nós, com o passar dos tempos, lhes perdeu o rumo.
xxcucoxx

1 comentário:

Anónimo disse...

Pois é!!! estou à vontade para confirmar que é mesmo assim que funciona a visita da sagrada familia em nossas casas. Tenho a sorte de quando vou à aldeia passar os fins de semana se calha a passar naquela zona também a recebo em minha casa, é uma forma de dar continuidade aos bons costumes que vinham já da casa dos meus pais!!! Mais um ótimo trabalho Carlos! Obrigada.