Seja bem-vindo

24 de dezembro de 2012

Boas Festas (2)



 
Nesta noite, a tradição levaria-nos à Missa do Galo. Este ano, não há essa Missa. Será realizada amanhã, dia 25 de Dezembro, pelas 15 horas a Missa de Natal. Uma oportunidade única para beijar e cantar ao nascer do menino Jesus,
 
Votos de Boas Festas a todos os amigos deste espaço.
 
xxcucoxx

21 de dezembro de 2012

Boas Festas


Simplesmente:

A todos os seguidores, visitantes e amigos deste blog, os meus mais sinceros votos de Boas Festas, um Santo e Feliz Natal !

xxcucoxx

12 de dezembro de 2012

O Madeiro. Uma tradição ....


Madeiro do Ano de 2012


Não há terra nas Beiras que se prese, que na noite da consoada não se acenda o Madeiro. Louriçal do Campo não é excepção e o adro da Igreja Matriz é palco, em todos os anos, desta tão afincada tradição natalícia.

O Madeiro é uma enorme fogueira que os rapazes da terra “constroem” no adro da Igreja. Tão grande que, apesar do frio da noite, mantém-se aceso pelos dias que se seguem. Diz a tradição que esta fogueira é para aquecer o Menino Jesus e os que vão à Missa do Galo e, por esta razão, se acende na noite de Natal.
 
Madeiro do Ano de 2012
 
 
É ateado por volta das 20 horas, antes da ceia de Natal. Assim, por entre brindes e abraços, trocam-se os tradicionais votos de Boas Festas.
Há mesmo quem diga “Natal sem Madeiro, não é Natal”. E, por isso, antes da ceia e pela noite dentro, poucos são os que resistem a uma passagem pelo Madeiro de Natal.
“Dizem” os livros que, em Louriçal do Campo, o Madeiro deveria ser roubado. Para que não se soubesse quem o roubou, as vacas que puxavam o carro deveriam ser cobertas por mantas e os homens encapuçados. Ao atravessar a povoação, os homens já munidos de pedras, atiravam-nas aos mais curiosos que espreitassem às janelas.
Em tom de conversa, um ilustre e respeitado conterrâneo de 63 anos de idade, relatou como foi no seu ano de mocidade, a recolha do Madeiro.
                “Foi duro!! Não éramos mais que 8 rapazotes com idades compreendidas entre os 18 e 19 anos. Falámos de véspera com o Sr. António Gil da Marrada, para que nos emprestasse o seu carro de vacas e, nesse mesmo dia, fomos também pedir autorização ao proprietário dos carvalhos, eucaliptos e pinheiros a cortar na noite a combinar. Estes eram identificados e marcados no local pelo seu proprietário.
                Já com as referidas autorizações e à meia-noite do dia combinado, pegámos no carro de vacas e fomos em direcção à Tapada Nova. Um lugar que, na altura, era da pertença das “Senhoras do Dr. Ramos Preto” (entenda-se, propriedade da família Dr. Ramos Preto). E, lá fomos nós!
Chegados ao local, preparámos as duas serras que tínhamos. Eram lâminas de dois metros de comprimento e vinte centímetros de altura.
As horas batiam na torre da Igreja, mas nunca a nosso favor! Não havia tempo a perder...
Munidos de vinho, toucinho e azeitonas, quando nos dava a fome, era o que comíamos.
Estava uma noite fria, mas nós tínhamos que fazer, pelo menos, o mesmo que os do ano passado para não ficarmos em mal. Por isso, carregámos mais uns troncos e fizemo-nos à estrada. O carro de vacas não podia trazer mais. A noite escura levava-nos em direcção ao cruzamento do Colégio de S. Fiel e, depois, era sempre a descer. Dois de nós tomavam a rédea do carro ocupando, assim, o lugar das vacas, e os restantes empurravam. Chegados a esse cruzamento, a descida para a aldeia tornou-se complicada, mas valeram-nos os travões do carro de vacas.
Já no adro da Igreja, começávamos a “amontoar” os troncos que, então, tínhamos conseguido. O cansaço era notável, mas vá lá que não houve nenhum azar!
Hoje, os tempos são outros. A malta não tem jeito para estas coisas. Por isso, o Madeiro é cortado durante o dia, carregado por tractores e, até mesmo, composto no local por máquinas de grande porte. Vejam só!!!”.
Os tempos passam e as tradições vão sendo ajustadas aos tempos modernos.
Contudo, continua a ser, sem dúvida, um dos mais belos momentos da noite de Natal nas nossas aldeias.
Por este ano, e tal como manda a tradição, o Madeiro já se encontra no local habitual. Foi colocado pelos mais novos no dia 8 de Dezembro.
Desta forma, cabe-nos contribuir com a presença, confraternizando, entre amigos e familiares que, só nestes locais mágicos, se conseguem viver.
xxcucoxx