Seja bem-vindo

14 de março de 2013

A Cravelha

A cravelha
 

É sem qualquer dúvida, uma das peças que mais se usaram nas antigas portas do mundo rural. A cravelha ou ferrolho (para alguns).


 

O termo deriva do latim clavícula «pequena chave» pelo que a sua função era a de trancar as portas para que não ficassem “escancaradas” mas também, no sentido de guardar e proteger os animais que pernoitavam no piso inferior das habitações.
 

Em Louriçal do Campo
 

Encontrava-se ainda, na parte exterior de algumas dessas velhas portas uma ferradura de animal que simbolizava a energia e sorte. A ferradura teria que ser de burro pois caso contrário, não teria qualquer efeito.

A ferradura
 

Em Louriçal do Campo, embora poucas, ainda é possível constatar tal epísódio, contudo, tende em desaparecer com a substituição dessas por outras de maior segurança.

xxcucoxx

3 comentários:

Anónimo disse...

Lindas fotos, belas recordações do que se vai "indo embora" em Louriçal do Campo. Obg Carlos

aluap disse...

Na minha terra chamamos "cravelho" a estas fechaduras.
As portas com cravelhos eram apenas fechadas pelo exterior, mas lembro de outras portas e portões, que ficavam fechadas só no trinco e tinham um buraquinho por onde passava um cordel que as pessoas puxavam e abriam. Quase ninguém fechava as portas à chave antigamente, porque era um tempo em que havia respeito pelos valores da confiança, da partilha e da amizade entre vizinhos.
Acerca das fechaduras, ainda quero dizer que no primeiro piso, piso de habitação, a chave ficava na porta, pois nesse tempo quem batia ou abria a porta ía por bem e não era invasão ou falta de educação, era convivência, amizade, confiança entre vizinhos que era como se fossem da família.
Acho que nas últimas duas décadas tudo mudou para pior!

xx cuco xx disse...

É verdade. Tudo mudou e para poir. Dexou de haver respeito pelos pertences dos outros. Em Louriçal do Campo, nos tempos em que a confiança reinava, a chave das portas eram guardadas logo ali ao lado, num dos buracos da parede mais a jeito.

Os tempos passaram e com eles veio também outros costumes que hoje não reinam mas, sobretudo, a falta de respeito pelos pertences do próximo.

Cumprimentos Louriçalences

Carlos Domingues